Ouça agora na Rádio

N Notícia

Governo destaca ações sociais, de segurança e infraestrutura em seminário

FOTO: Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini

Governo destaca ações sociais, de segurança e infraestrutura em seminário

Na segunda parte do Seminário de Governo realizado nesta quarta-feira (13), os debates foram sobre dois eixos considerados prioritários para o governador José Ivo Sartori e sua equipe: Social e da Infraestrutura e Meio Ambiente. Desde que assumiu a gestão em 2015, Sartori sempre deixou claro que o poder público precisa oferecer serviços de qualidade a todos os gaúchos, mas principalmente aos que mais precisam de assistência.

Promovido no Centro de Treinamento do Banrisul, na Zona Sul de Porto Alegre, o seminário serviu para alinhar informações, fazer um balanço da gestão e fortalecer a integração entre as equipes. As principais realizações do governo foram apresentadas em quatro painéis, divididos pelos eixos do Acordo de Resultados: Gestão, Econômico, Social, e Infraestrutura e Meio Ambiente. Os resultados alcançados pela gestão em três anos de administração foram publicados em uma cartilha.

"Estipulamos metas e fizemos o Acordo de Resultados para que a gestão seja diferente, mais eficiente e enxuta, para servir melhor à sociedade. O futuro do Rio Grande depende muito do que estamos plantando agora", afirmou na abertura. "Qual o sentido do Estado se não é para atender as pessoas?", questionou o vice-governador, José Paulo Cairoli, indo na mesma linha do governador.

A secretária do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos e do Gabinete de Políticas Sociais, Maria Helena Sartori, destacou algumas das inúmeras políticas sociais do governo. Maria Helena falou da grande rede de cuidado e proteção existente no RS, começando com as gestantes e os bebês no programa Primeira Infância Melhor (PIM). "O que a gente faz pelas nossas crianças na fase inicial vale para a vida toda. O PIM é um sucesso e serviu de inspiração ao programa Criança Feliz, do governo federal. Com as duas iniciativas, vamos ampliar o atendimento domiciliar, porque é um trabalho que faz toda a diferença", disse.

Cuidado com crianças e jovens

Maria Helena também citou as Cipaves (Comissões Internas de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar), que promovem a cultura da paz em ambiente escolar e estão presentes em mais de 90% das escolas estaduais. "Essas comissões funcionam porque envolvem alunos, professores, pais e autoridades. As crianças aprendem que respeito se conquista com respeito e cuidando das escolas. E percebem que o diálogo pode resolver muitos problemas", ressaltou.

Além das políticas mais focadas na infância e na adolescência, a secretária destacou as ações para a juventude. "Nossos jovens precisam de oportunidades. Por isso, eu tenho muito orgulho do POD, o Programa de Oportunidades e Direitos", lembrou. Com US$ 56 milhões de financiamento do BID e uma pequena contrapartida do Estado, o programa tem diversas linhas de atuação, mas o foco principal é a redução da violência entre indivíduos de 15 a 24 anos. Por isso, estão sendo construídos seis Centros da Juventude (quatro em Porto Alegre, um em Alvorada e um em Viamão). "São locais comunitários que beneficiam 3,6 mil jovens por ano. Eles são estimulados a estudar, têm acesso à cultura e ao esporte e, principalmente, recebem capacitação profissional para entrar no mercado de trabalho", explicou.

Combate à criminalidade

Se, por um lado, cuidar das crianças e dos jovens é fundamental para prevenir a exclusão social e a violência, por outro, é preciso agir quando os problemas são uma realidade. O secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, mostrou o que tem sido feito para reduzir o crime no Rio Grande do Sul. "Quero dizer, governador Sartori, que nos últimos 20 anos nenhum governo fez mais do que o seu pela Segurança Pública. A segurança foi eleita como prioridade. Uma das provas é a ampliação do orçamento da pasta: um incremento de 19% em 2017 e de 26% no ano que vem", informou.

Schirmer elencou uma série de decisões tomadas para atender aos apelos da comunidade. Citou, por exemplo, a autorização para o maior concurso público da Segurança Pública do Estado. No total, serão 6,1 mil profissionais: 4,1 mil soldados e 200 oficiais para a Brigada Militar (BM), e 450 soldados e 50 oficiais para o Corpo de Bombeiros. Na Polícia Civil, o governo autorizou um concurso para 1,2 mil inspetores e escrivães e 100 delegados.

"São muitas as ações. Fizemos a Operação Pulso Firme, que transferiu 27 líderes de facções para presídios federais em outros estados. Foi a maior ação integrada da história, com envolvimento de 20 instituições. Não temos mais presos em viaturas e delegacias. E ainda vamos entregar 208 viaturas para a BM no próximo dia 21", enfatizou.

O governo também tem investido na ampliação e na melhoria do sistema penitenciário. Alguns exemplos são a Penitenciária de Canoas 2, inaugurada em outubro, com capacidade para 805 vagas em regime fechado (cerca de 350 já ocupadas), e a Penitenciária de Canoas 1, com capacidade para 393 vagas. O Complexo Penitenciário de Canoas possui, no total, 2.808 vagas.

Modernização da infraestrutura

Depois do Eixo Social, o seminário abordou o Eixo da Infraestrutura e Meio Ambiente. Conforme o secretário adjunto dos Transportes, Vanderlan Frank Carvalho, o Estado recuperou mais de 2 mil quilômetros de rodovias e aprovou a licitação do último lote da duplicação da RS-118, considerada a obra rodoviária mais importante da Região Metropolitana.

"Também estamos fazendo investimentos estratégicos em aeroportos do interior. Sabemos que a aviação regional é fundamental para o desenvolvimento do RS. Neste mês, assinamos o termo de compromisso com a União para o aeroporto Lauro Körtz, de Passo Fundo", lembrou. O terminal vai receber R$ 45 milhões para obras de ampliação e modernização, sendo que 99% dos recursos são do governo federal. Ao Estado, cabe uma contrapartida de 1%.

Eixos Social e de Infraestrutura e Meio Ambiente envolvem secretarias da Segurança Pública; da Saúde; da Educação; de Desenvolvimento Social, Justiça, Trabalho e Direitos Humanos; da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer; do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Obras, Saneamento e Habitação; dos Transportes; de Minas e Energia; e Casa Militar. Dani Barcellos/Palácio Piratini

Também participaram dos debates sobre o chefe da Casa Militar, coronel Alexandre Martins; o secretário adjunto da Saúde, Francisco Paz; o secretário de Educação, Ronald Krummenauer; o secretário da Cultura, Esporte e Lazer, Victor Hugo; a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini; o secretário de Obras Públicas, Saneamento e Habitação, Fabiano Pereira; e o secretário de Minas e Energia, Artur Lemos.

FONTE: Texto: Vanessa Felippe Edição: Gonçalo Valduga/Sec
Link Notícia